terça-feira, 3 de outubro de 2017

300 ANOS DE NOSSA SENHORA APARECIDA



A Imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada 
no rio Paraíba do Sul no ano de 1717. 
Portanto, em 2017 o encontro da Imagem completa 300 anos.

As comemorações dos ‘300 anos de Bênçãos’ de 
Nossa Senhora Aparecida tiveram início no 
dia 12 de outubro de 2016 e para celebrar esse 
grandioso tricentenário, o Santuário Nacional promove uma programação especial de devoção e obras de fé.
Durante estes 300 anos, peregrinos fiéis de todos os lugares do Brasil, de norte a sul, e toda a América latina organizam grandes Romarias ao Santuário de Aparecida para prestar homenagens e agradecimentos pela maior intercessora em favor principalmente do povo mais simples e sofrido.
Nossa Senhora Aparecida é Padroeira do Brasil e é celebrada em 12 de outubro de cada ano.


Desde o ano de 2014 uma Imagem fac símile da Padroeira é enviada a diversas arquidioceses e Missionários Redentoristas visitam as capitais do país, que estão recebendo a visita da imagem peregrina, para recolher uma porção de terra que irá compor a coroa especial de Nossa Senhora Aparecida.
Dentre as obras que homenageiam o tricentenário da Mãe Aparecida está o Campanário com sinos fabricados na Holanda e a grandiosa Cúpula da Basílica, que será inaugurada no dia 11 de o Para marcar os eventos relacionados ao Jubileu, foi criado um Selo Comemorativo.



Na composição do selo, estão elementos que fazem referência à religiosidade brasileira: a cruz, recordando o centro de nossa fé; o barco, recordando a pesca milagrosa; e a Imagem da Senhora Aparecida.

O primeiro material foi o selo comemorativo, e o livro ‘Aparecida’, do fotógrafo Fábio Colombini. O livro retrata as expressões de fé e a arte sacra no Santuário Nacional e foi lançado, oficialmente, em 18 de agosto de 2013.










By Mauro do Coral

sábado, 30 de setembro de 2017

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017




Para o ano de 2017 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) definiram o tema e o lema da Campanha da Fraternidade
 “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida, Cultivar e guardar a Criação”.
A campanha da fraternidade é um caminho para a conversão quaresmal, como itinerário do cultivo e do cuidado comunitário e social.

O lema da campanha é inspirado no texto do livro do Gênesis 2, 15: " Cultivar e guardar a criação" e tem como objetivo geral: cuidar da criação, de modo especial os biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho.
Bioma quer dizer a vida que se manifesta em um conjunto semelhante de vegetação, àgua, superfície e animais.
Um Bioma é formado por todos os seres vivos de uma determinada região, cuja vegetação é similar e contínua, cujo clima é mais ou menos uniforme, e cuja formação tem uma história comum.
Cultivar e  guardar nasce da admiração! 
A beleza que toma o coração, faz com que nos inclinemos com reverência diante da criação.
Tocados pela magnanimidade e bondade dos biomas, seremos conduzidos à conversão, isto é, cultivar e guardar.
A depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica, que pede uma profunda conversão interior. Temos de reconhecer também que alguns cristãos, até comprometidos e piedosos com o pretexto do realismo, frequentemente se omitem das preocupações pelo meio ambiente.
Viver a vocação de guardiões da obra de Deus, não é algo de opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial de uma existência virtuosa.


Hino da Campanha da Fraternidade 2017
 
Louvado Seja, ó Senhor, pela Mãe terra
Que nos acolhe, nos alegra e dá o pão
Queremos ser os teus parceiros na tarefa
De cultivar o bem guardar a criação

Da Amazônia até os Pampas
Do cerrado aos manguezais
Chegue a ti o nosso canto
Pela vida e pela paz (2X)

Vendo a riqueza dos biomas que criaste
Feliz disseste: tudo é belo, tudo é bom!
E pra cuidar a tua obra nos chamaste
A preservar e cultivar tão grande dom

Por toda a costa do país espalhas vida
São muitos rostos – da Caatinga ao Pantanal
Negros e Índios, camponeses: gente linda
Lutando juntos por um mundo mais igual

Senhor, agora nos conduzes ao deserto
E, então nos falar, com carinho ao coração
Pra nos mostrar que somos povos tão diversos
Mas um só Deus nos faz pulsar o coração

Se contemplamos essa mãe com reverência
Não com olhares de ganância ou ambição
O consumismo, o desperdício, a indiferença
Se tornam luta, compromisso e proteção




By Mauro do Coral

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

Entre várias importantes fontes  que marcaram 

o  ano 2015 preocupadas com as mudanças 
climáticas precisamos mencionar duas:
 “Peregrinação por justiça e paz”  do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) que destaca a necessidade urgente da superação desse modelo de desenvolvimento que está baseado no consumo e na ganância; e a Encíclica do Papa Francisco fala sobre o cuidado da Casa Comum.
O tema deste ano é Casa comum, nossa responsabilidade e tem como lema, Quero ver o direito brotar.
O Objetivo Geral da Campanha é: “Assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”.
Os oito Objetivos Específicos da CF mostram a preocupação com o saneamento básico no Brasil:

1 -  Unir Igrejas, diferentes expressões religiosas e pessoas de boa vontade na promoção da justiça e do direito ao saneamento básico; 

2 -  Estimular o conhecimento da realidade local em relação aos serviços de saneamento básico; 

3 -  Incentivar o consumo responsável dos dons da natureza, principalmente da água; 

4 -  Apoiar e incentivar os municípios para que elaborem e executem o seu Plano de Saneamento Básico; 

5 -  Acompanhar a elaboração e a excussão dos Planos Municipais de Saneamento Básico; 

6 -  Desenvolver a consciência de que políticas públicas na área de saneamento básico apenas tornar-se-ão realidade pelo trabalho e esforço conjunto; 

7 - Denunciar a privatização dos serviços de saneamento básico, pois eles devem ser política pública como obrigação do Estado; 

8 -  Desenvolver a compreensão da relação entre ecumenismo, fidelidade à proposta cristã e envolvimento com as necessidades humanas básicas.


                                                                                                    By Mauro do Coral


terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2015

A Campanha da Fraternidade de 2015 nos convida a refletir, meditar e rezar a relação entre igreja e sociedade. 
O Tema é: “ FRATERNIDADE,:IGREJA E SOCIEDADE”, 
e o lema: “EU VIM PARA SERVIR”.

A Campanha vai ajudar-nos à luz do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a igreja e a sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico VATICANO II, como serviço, ao povo Brasileiro, para a edificação do Reino de Deus.

Sociedade vem de Socius e Id. de idade, que diz da força, vigor, força e vigor do Socius.
Socius é o companheiro. 
A Força que faz e deixa ser companheiro.
Os que estão unidos pela mesma força e vigor formam a Sociedade.
As pessoas que tem a mesma pertença e buscam viver e conviver com um modo próprio de organização, formam uma sociedade. As pessoas também recriam a sociedade. Porque formada por pessoas a sociedade é viva e se transforma.
Uma sociedade é uma sociedade quando todos participam do conviver e do decidir e não permitem que uma pessoa seja excluída.
A igreja, as comunidades de fé, os cristãos são ativos na sociedade. 
Eles pelo diálogo e pela caridade cuidam das pessoas que são excluídas, e ao mesmo tempo participam ativamente das discussões e preposições que visam o bem de todos. 
Disse o Papa Francisco: “prefiro uma igreja acidentada, ferida, enlameada por ter saído pelas estradas, a uma igreja enferma pelo fechamento e comodidade de se agarrar as próprias seguranças. 

Não quero uma igreja preocupada em ser o centro e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimento.”
Sair ao encontro do outro, do próximo e se colocar a serviço dele, como fez Cristo na noite do lava-pés, na ultima ceia com os apóstolos, quando tomou uma bacia com água e lavou os pés deles, um a um e concluiu dizendo: 
Assim como eu o seu mestre vos lavei os pés, vós também deveis lavar os pés uns dos outros... e no Evangelho de Marcos 10, 45 “ o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate de muitos..”


De fato onde existe tanta desigualdade, corrupção, doenças, pobreza e todo tipo de violência, é sinal de que não existe o serviço e é isso que os cristãos precisam combater e fazer o Reino de Deus acontecer oferecendo-se com muita humildade a servi-lo.     

                                                                         
                                                                                                                                   By Mauro do Coral

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2014

Em 2014, a Campanha da Fraternidade tem como tema
“Fraternidade e Tráfico Humano”,                cujo lema será:
 “É para a liberdade que Cristo nos libertou”.
O objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2014 é “identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humanas, mobilizando cristãos e pessoas de boa vontade para erradicar este mal com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”.

Objetivos específicos:

Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos sofridos por esta exploração;
Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vitimas dessas práticas;
Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador desta realidade aviltante da pessoa humana;
Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano;
Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania dos atingidos;
Reivindicar, aos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar, eclesial e social;

A situação do tráfico humano no país e no mundo é alarmante: 
a Organização Internacional do Trabalho (OIT) atenta para o aumento de vítimas do tráfico humano, do trabalho forçado e do tráfico para a exploração sexual.
 De acordo como site da Organização das Nações Unidas (ONU), no Brasil, o tráfico de pessoas faz cerca de 2,5 milhões de vítimas por ano, incluindo homens, mulheres e crianças, mas principalmente pessoas vulneráveis e carentes – psicologicamente e de recursos.

                                                              
Por Mauro do Coral


segunda-feira, 14 de abril de 2014

OFÍCIO DAS TREVAS


O Ofício das trevas é um antiquíssimo ofício Litúrgico
e muito apreciado por toda a igreja.
Ele juntava lições e Salmos em um belíssimo texto retirado do breviário e rezado junto com a comunidade. Durante os séculos houve muitas formas musicadas, inclusive não apenas na forma gregoriana, mas também na forma de música clássica.

Chama-se das trevas porque ao longo do ofício iam apagando-se as luzes da Igreja que terminava em escuridão.

O Ofício das trevas mostra, de forma bastante clara, a figura do servo sofredor e junto d’Ele nos colocamos rezando e meditando sobre os sofrimentos de sua paixão e morte na cruz


Sermão das Sete Palavras



Lembra as últimas palavras de Jesus, no Calvário, antes de sua morte.

As sete palavras de Jesus são:

1 - “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem…”,
2 - “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso”,
3 -  “Mulher, eis aí o teu filho… Eis aí a tua Mãe”,
4 -  “Tenho Sede!”,
5 -  “Eli, Eli, lema sabachtani? - Meus Deus, meus Deus, por que me abandonastes?”,
6 -  “Tudo está consumado!”,
7 -  “Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito!”.

 Neste dia, não se celebra a Santa Missa.
Por volta das 15 horas celebra-se nas igrejas católicas a Solene Ação Litúrgica comemorativa da Paixão e Morte de Jesus Cristo. À noite as paróquias fazem encenações da Paixão de Jesus Cristo e em seguida a Procissão do Enterro, levando o esquife com a imagem do Senhor morto.  

By Mauro do Coral       


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

HISTÓRIA DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

Jornada Mundial da Juventude é uma grande celebração instituída pelo Papa João Paulo II em 20 de dezembro de 1985 que reúne milhões de católicos de todo o mundo, sobretudo jovens.

Com duração de cerca de uma semana, promove eventos da Igreja Católica para os jovens e com os jovens.

Reúne milhares de jovens para celebrar e aprender sobre a fé e para construir pontes de amizade e esperança entre continentes, povos e culturas, além de compartilhar entre si a vivência da espiritualidade.

Inspirado por grandes encontros de jovens do mundo em eventos especiais ocorridos no Domingo de Ramos em Roma, dos anos de 1984 e 1985, o Papa João Paulo II estabeleceu a Jornada Mundial da Juventude como um evento anual (que passou depois a ser com intervalos de dois ou três anos) com o objetivo de alcançar novas gerações, propagando assim os ensinamentos  de Jesus e da Igreja.
A celebração é realizada numa cidade escolhida pelo Papa.
Nos anos intermediários, as Jornadas são vividas localmente, no Domingo de Ramos, pelas dioceses ao redor do mundo.
Para cada Jornada, o Papa sugere um tema. Durante a JMJ, acontecem eventos como catequeses, adorações, missas, momentos de oração, palestras, partilhas e shows, tudo em diversas línguas.
Em 1995, em Manila, Filipinas o evento reuniu cerca de 4 milhões de pessoas, uma das maiores concentrações de católicos da história.

A primeira Jornada foi realizada, em Roma na Itália em 1985, por ocasião do Ano mundial da Juventude.
Contudo, a instituição oficial da JMJ por João Paulo II só ocorrera em 20 de dezembro de 1985, e a Iª JMJ oficial somente no Domingo de Ramos de 1986.
 A partir de então, passou ser organizada a cada dois anos, como regra geral (algumas, a partir de 2000 ocorreram com três anos de intervalo). Cada evento é organizado em diferentes cidades do mundo.
Em 1987, os jovens foram convocados a Buenos Aires,na Argentina  onde 1 milhão de participantes ouviram as mensagens do Papa, como esta:

Repito ante vós o que venho dizendo desde o primeiro dia do meu pontificado: que vós sois a esperança do Papa, a esperança da Igreja.
( João Paulo II )

Dois anos depois em 1989, 600 mil jovens foram em peregrinação à cidade Espanhola de Santiago de Compostela.
Em 1991, 1,5 milhão pessoas participaram da Jornada no santuário mariano da cidade polonesa de Czestochowa e o Papa João Paulo II foi o primeiro Papa a falar em Esperanto.
Depois da queda do Muro de Berlim, essa foi a primeira ocasião em que os jovens do Leste Europeu puderam participar livremente do evento.

Meio milhão de jovens encontraram o Papa João Paulo II em 1993, na cidade americana de Denver, diante do impressionante cenário das montanhas rochosas.
Em 1997, foram muitos jovens que responderam ao convite do Papa para a Jornada em Paris, que terminou com um evento reunindo quase um milhão de pessoas.
O Jubileu do ano 2000 converteu-se também no jubileu das Jornadas Mundiais da Juventude.
Cerca de 2,5 milhões de jovens (segundo a imprensa local) reuniram-se em Roma para um novo encontro com o Papa.
A cidade canadense de Toronto  no Canadá foi a sede do encontro de 2002, onde 800 mil pessoas encontraram-se para a última Jornada com o peregrino João Paulo II. 
O Papa lembrou a todos que o espírito jovem é algo que não pode ser sufocado:
Vós sois jovens e o Papa é idoso, e ter 82 ou 83 anos não é a mesma coisa que ter 22 ou 23. Todavia, ele continua a identificar-se plenamente com as vossas esperanças e as vossas aspirações. Juventude de espírito, juventude de espírito! Embora eu tenha vivido no meio de muitas trevas, sob duros regimes totalitários, tive suficientes motivos para me convencer de maneira inabalável de que nenhuma dificuldade e nenhum temor é tão grande a ponto de poder sufocar completamente a esperança que jorra sem cessar no coração dos jovens.
A Jornada entre os dias 16 e 21 de Agosto de 2005 em Colonia na Alemanha, ( Weltjugendtag Köln 2005 em alemão), foi a primeira após a morte de João Paulo II.
 O evento foi presidido pelo Papa Bento XVI naquela que foi a primeira viagem internacional do seupontificado.

 Mais de um milhão de jovens se ajoelharam junto com o Papa na vigília de 20 de agosto.
Em 15 de julho de 2008, em Sidney na Austrália, iniciou-se com o tema: "Recebereis a força do Espírito Santo, que virá sobre vós, e sereis Minhas testemunhas" ( atos 1:8 )
Em 20 de julho, na missa de encerramento, o Papa convocou os jovens do mundo todo para a Jornada de 2011 em Madri, na Espanha.
Madri reuniu cerca de 1,5 milhão de jovens, com o tema "Arraigados e edificados em Cristo, firmes na fé" ( Colossensses 2:7 )
No dia 21 de agosto de 2011, ao concluir a Missa de envio no aeródromo de Quatro Ventos em Madri o Papa anunciou que a seguinte Jornada Mundial da Juventude seria na cidade do Rio de Janeiro no Brasil.
  Ao fazer o esperado anúncio, o Santo Padre disse:
Agrada-me anunciar agora que a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2013, será o Rio do Janeiro(...)Peçamos ao Senhor desde este instante que assista com sua força a quantos deverão pô-la em marcha e aplaine o caminho para os jovens de todo o mundo para que possam reunir-se novamente com o Papa nessa bela cidade brasileira(...)Antes de nos despedirmos e depois que os jovens da Espanha entreguem aos do Brasil a cruz das Jornadas Mundiais da Juventude, como Sucessor de Pedro confio todos os aqui presentes esta grande tarefa: levem o conhecimento e o amor de Cristo por todo mundo
A JMJ de 2013, realizada no Rio de Janeiro, Brasil e reuniu cerca de 3,7 milhões de jovens, sendo a segunda maior concentração de jovens da história deste evento.
Apesar de ser organizada pela Igreja Católica, a JMJ é um convite a todos os   jovens do mundo. 
  
História da Cruz da JMJ
A Cruz da JMJ ficou conhecida por diversos nomes: Cruz do Ano Santo, Cruz do Jubileu, Cruz da JMJ, Cruz Peregrina, muitos a chamam de Cruz dos Jovens porque ela foi entregue pelo papa João Paulo II aos jovens para que a levassem por todo o mundo, a todos os lugares e a todo tempo.
Os jovens acolheram o desejo do Santo Padre.
Levaram a cruz ao Centro São Lourenço, que se converteria em sua morada habitual durante os períodos em que ela não estivesse peregrinando pelo mundo.
Desde 1984, a Cruz da JMJ peregrinou pelo mundo, através da Europa, além da Cortina de Ferro, e para locais das Américas, Ásia, África e Oceania, estando presente em cada celebração internacional da Jornada Mundial da Juventude. Em 1994 a Cruz começou um compromisso que, desde então, se tornou uma tradição: sua jornada anual pelas dioceses do pais sede de cada JMJ internacional, como um meio de preparação espiritual para o grande evento.
O Ícone de Nossa Senhora
Em 2003, o Papa João Paulo II deu aos jovens um segundo símbolo de fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a Cruz da JMJ: o Ícone de Nossa Senhora, Salus Populi Romani uma cópia contemporânea de um antigo e sagrado ícone encontrado na primeira e maior basílica para Maria a Mãe de Deus, no ocidente, Santa Maria Maior.
Papa Bento XVI, continuando o legado de seu predecessor, falou na cerimônia de entrega da Cruz e do Ícone da JMJ de um grupo de jovens alemães para uma delegação de jovens australianos no Domingo de Ramos de 2006, enfatizando porque o Ícone de Maria acompanha a peregrinação, junto com a Cruz da JMJ.
Milhões de jovens, desde 1985, participaram das Jornadas Mundiais da Juventude. Centenas de milhares continuam participando a cada JMJ, da graça do evento pelo seu encontro com a Cruz e com o Ícone da JMJ.
Esses símbolos são apresentados ao mundo de forma mais contundente pelos jovens que os levam, não por alguns momentos ou horas, mas pelo exemplo diário de suas vidas cristãs.

By Mauro do Coral


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE - RIO DE JANEIRO 2013



A Jornada mundial da juventude realizada no Brasil em Julho de 2013, foi simplesmente uma grande demostração de amor e carinho principalmente do Papa Francisco ao povo e de resposta imediata do povo para com o sucessor de Pedro. 
Desde que o Papa Bento XVI em 2011 na JMJ de Madri anunciou o Rio de Janeiro para se preparar para a jornada mundial, muita gente se mobilizou para organizá-la.

As autoridades brasileiras, a imprensa jornalística e televisiva e principalmente a igreja em suas paróquias e comunidades iniciaram intensos trabalhos para acolher o Pontífice e fazer com que os objetivos da jornada obtivesse sucesso.                              
Desde sua chegada foi acolhido pelo Arcebispo do Rio de janeiro Dom Orani Tempesta e pelas autoridades políticas do Estado e da Presidente da República. 

Assistiu a um coral de crianças especialmente preparadas para recebe-lo e foram aplaudidas pelo Pontífice.

Em seguida no trajeto quando se dirigia ao Palácio para a cerimônia de Acolhida , uma grande multidão de fiéis seguiram seu carro, correndo do lado, tirando fotos, gritando seu nome, e querendo tocá-lo. Com o vidro do carro abaixado e sorridente, num dia frio ele saudava e cumprimentava a todos que se aproximavam.

Na cerimonia de acolhida após ouvir a Presidente ele se levantou e começou com estas palavras:
" Não tenho ouro nem prata, mas trago a vocês o que tenho de mais valioso: 
JESUS CRISTO."

Em seguida dirigindo-se ao jovens disse:
“A juventude é a janela pela qual entra o futuro no mundo.”
Nesta chegada mandou também um recado a todos fiéis: .....Três simples posturas: conservar a esperança, deixar-se surpreender por Deus e viver na alegria.

No dia 24, Papa Francisco fez uma visita a Aparecida, e foi novamente recebido com muita festa e alegria pelos fiéis, lá teve seu momento com Maria e em seguida celebrou a missa na Basílica acompanhado de centenas de sacerdotes e bispos e também líderes de outras religiões. 

As palavras do Papa sempre muito simples e direta encheu os corações, principalmente da Juventude de esperança e coragem:

“Nunca desanimem diante das injustiças e desvios. Vocês queridos jovens possuem uma sensibilidade especial frente as injustiças, mas muitas vezes se desiludem com notícias de corrupção, com pessoas que em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício, repito: não desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança. A igreja está do lado de vocês, trazendo-lhes o bem precioso da fé..”

O início de sua visita foi em meio a tempo chuvoso e frio, mas isso não foi suficiente para esfriar a fé da juventude que enfrentavam horas e longas filas, trazendo também muitas crianças para serem abençoadas pelo Pontífice.

“ Sempre ouvi dizer que os cariocas não gostam de frio e da chuva, mas vocês estão demonstrando que a fé é mais forte do que o frio e a chuva, vocês são verdadeiros guerreiros.”

À igreja o Papa deixa mensagens duras para bispos no último dia de sua visita ao país:
“ Os bispos devem ser pastores próximos das pessoas, pais e irmãos, com grande mansidão, pacientes e misericordiosos, homens que não tenham a psicologia de príncipes. 
Homens que não sejam ambiciosos e que       sejam esposos de uma igreja sem viver na expectativa de outra. 
É preciso sair de suas paróquias e sair para as ruas...aquele mais distante da igreja, mais afastado deve ter um tratamento vip.. ....

Nossos Bispos e Sacerdotes devem amar a pobreza,isto é: sair do interior de suas paróquias e ir ao encontro do irmão que está afastado, sair para as ruas..

Uma grande multidão de fiéis acompanharam a Vigília da jornada  em Copacabana a noite, onde o Papa participou da Via sacra encenada por atores e jovens leigos...que fizeram a montagem de uma igreja no Palco relembrando o pedido de Deus a São Francisco de Assis, 
“ Restaura a minha igreja.”
Na missa de encerramento da Jornada a Missa do “Envio” estiveram presentes além de autoridades cerca de três milhões e setecentos mil fiéis ocupando cada centímetro de Copacabana numa manhã de muito sol.

...Dizem que o casamento está fora de moda, que vocês não são capazes de assumir um compromisso sério, pra vida toda, é a cultura do descartável, eu digo para vocês: sejam revolucionários, neste sentido, remem cotra a corrente, rebele-se contra a cultura do provisório, que diz que você não é capaz de amar pra valer...tenha coragem de ser feliz..

 ...É preciso respeitar os dois extremos...os jovens porque são o futuro e os idosos que tem muita experiência de vida pra contar e ensinar...







....Pai e mãe que não escutam seu filho, o isolam e geram nele um profunda tristeza, tem que escutar, abraçar, beijar...


.....A travessia é longa e cansativa, mas olhem para frente...olhem para frente...!!!





Três milhões e setecentas mil pessoas na sua grande maioria jovens de mais de 150 países estiveram lotando a missa de envio em Copacabana...
Foi uma missa emocionante e muito marcante, o Papa Francisco, agradeceu e se mostrou muito feliz com a receptividade e a alegria de todo o povo que durante a semana enfrentou um tempo frio e chuvoso, mas se manteve firme e acolheu a palavra...isto estava evidente no rosto de cada um..


Ao final da missa o Papa anunciou a próxima Jornada Mundial da Juventude, será em Cracóvia capital da Polônia onde nasceu o Papa João Paulo II.















By Mauro do Coral

sexta-feira, 5 de julho de 2013

SANTA PAULINA

Santa Paulina nasceu em 16 de dezembro de 1865,
em Vigolo Vattaro, província de Trento, na Itália.
Foi batizada no dia seguinte com o nome de Amabile
Lucia Visintainer. Filha de pais muitos católicos Antonio Napoleone Visintainer, que era Pedreiro e Ana Pianezzer,
dona-de-casa.
Em 1873, aos 8 anos, Amabile emprega-se em uma
fabrica de tecidos, onde trabalhou como Tecelã.
No dia 27 de abril de 1874 , aos 9 anos, recebe a Crisma.
Em 1879, com mais ou menos 12 anos,
faz a primeira comunhão. Em 1882, quando tinha 15 anos,
foi convidada pelo Padre Augusto Servanzi, para
juntamente com Virginia, para trabalhos religiosos na Capela São Jorge; ficando encarregadas de ministrar catequese, limpar a capela e cuidar de pessoas doentes, em domicilio.Aos 22 anos, Amabile perde a mãe.
Em 1898, ela fala com Nossa Senhora, após sonhar com ela três vezes que lhe diz:“Amábile, é meu ardente desejo que comeces uma obra: trabalharás pela salvação de minhas filhas.” 
 Aos 07 de dezembro de 1895, Amabile, juntamente com outras jovens da Congregação fazem os votos e adota o nome de Irma Paulina do Coração Agonizante de Jesus.
Em 02 de fevereiro de 1903, Irma Paulina foi eleita com 21 votos para o cargo vitalício de Superiora Geral, passando a ser chamada de Madre Paulina.
No dia 17 de julho de 1903, Madre Paulina é transferida para São Paulo,indo morar no Bairro Ipiranga e dirigir o Asilo Sagrada Família.
Em 1908, Madre Paulina sofre com infâmias de Anna Brottero; uma rica viúva que fazia doações ao Asilo e almejava dirigir o mesmo; por isso, recebe ordens para ir para Nova Trento.

No dia 30 de agosto de 1909, aos 44 anos, Madre Paulina recebe o exilio e é enviada para Bragança Paulista. Primeiramente vai  trabalhar na Santa Casa e depois no Asilo São Vicente. 
Em 1918, foi chamada de volta ao Ipiranga e foi recebida com honras pelas Irmãzinhas.
Em 1938, Madre Paulina estava fazendo flores artificiais e rosários no porão da casa-geral, quando faz um corte no dedo médio da mão direita. Ela era diabética e não cuidou direito do dedo; a ferida se transformou em gangrena diabética e ela teve que amputar o dedo.
Na data de 18 de março de 1938, ela teve que amputar o braço.
Mas nunca reclamou, nunca se lamentou, nessa ocasião ela disse: “Deus me pediu o dedo, depois o braço. Mas por que negar se sou toda dele? 
 “Nunca, jamais desanimeis, embora venham ventos contrários!”.
 “Confiai em Deus e em Maria Imaculada; permaneceis firmes e ide adiante.”
A partir de agosto de 1940, Madre Paulina foi ficando cada vez mais doente; e devido a complicações do diabetes ficou cega.
No dia 09 de julho de 1942,em São Paulo, Madre Paulina encerra sua missão aqui na terra, partindo para a Casa de Deus; aos 76 anos; 
Em 18 de outubro de 1991, na cidade de Florianópolis-SC- Brasil, Madre Paulina foi Beatificada pelo então Papa João Paulo II, que lhe concedeu o titulo de “Bem-Aventurada” e passou a ser invocada pelos cristãos como “Bem-Aventurada Madre Paulina, rogai por nós!”

No dia 19 de maio de 2002, foi canonizada, no Vaticano, pelo mesmo Papa João Paulo II, que lhe concedeu o titulo de “Santa Paulina”,
Santa Paulina, é protetora dos enfermos, das crianças e dos idosos. 
A “Festa de Santa Paulina” é celebrada no dia 09 de julho. 
Santa Paulina é Protetora dos Enfermos, das Parturientes, das Crianças e dos Idosos. É invocada principalmente como Intercessora dos Doentes com Câncer.

By Mauro do Coral



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...